segunda-feira, 29 de julho de 2013

Um rápido abandono

Olá, comecei outro blog. Clica aqui. Bem, volto com tudo a partir de agora, me dedicarei de verdade à vocês... Aguardem novo template e novos postS :)

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Primeira vez

Olá, faz uns tempos que vi um vídeo muito legal na internet e hoje em pesquisas o vi de novo e decidir postar aqui pra vocês. Ele mostra crianças provando alimentos pela primeira vez (dai o título do post) e é fofo demais, vejam só:




















           

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Texto do dia

Cometa bobagens. Não pense demais porque o pensamento já mudou assim que se pensou. O que acontece normalmente, encaixado, sem arestas, não é lembrado. Ninguém lembra do que foi normal. Lembramos do porre, do fora, do desaforo, dos enganos, das cenas patéticas em que nos declaramos em público. Cometa bobagens. Dispute uma corrida com o silêncio. Não há anjo a salvar os ouvidos, não há semideus a cerrar a boca para que o seu futuro do passado não seja ressentimento. Demita o guarda-chuva, desafie a timidez, converse mais do que o permitido, coma melancia e vá tomar banho de rio. Mexa as chaves no bolso para despertar uma porta. Cometa bobagens. Não compre manual para criar os filhos, para prender o gozo, para despistar os fantasmas. Não existe manual que ensine a cometer bobagens. Não seja sério; a seriedade é duvidosa; seja alegre; a alegria é interrogativa. Quem ri não devolve o ar que respira. Não atravesse o corpo na faixa de segurança. Grite para o vizinho que você não suporta mais não ser incomodado. Use roupas com alguma lembrança. Use a memória das roupas mais do que as próprias roupas. Desista da agenda, dos papéis amarelos, de qualquer informação que não seja um bilhete de trem. Procure falar o que não vem à cabeça. Cantarolar uma música ainda sem letra. Deixe varrerem seus pés, case sem namorar, namore sem casar. Seja imprudente porque, quando se anda em linha reta, não há histórias para contar. Leve uma árvore para passear. Chore nos filmes babacas, durma nos filmes sérios. Não espere as segundas intenções para chegar às primeiras. Não diga “eu sei, eu sei”, quando nem ouviu direito. Almoce sozinho para sentir saudades do que não foi servido em sua vida. Ligue sem motivo para o amigo, leia o livro sem procurar coerência, ame sem pedir contrato, esqueça de ser o que os outros esperam para ser os outros em você. Transforme o sapato em um barco, ponha-o na água com a sua foto dentro. Não arrume a casa na segunda-feira. Não sofra com o fim do domingo. Alterne a respiração com um beijo. Volte tarde. Dispense o casaco para se gripar. Solte palavrão para valorizar depois cada palavra de afeto. Complique o que é muito simples. Conte uma piada sem rir antes. Não chore para chantagear. Cometa bobagens. Ninguém lembra do que foi normal. Que as suas lembranças não sejam o que ficou por dizer. É preferível a coragem da mentira à covardia da verdade.
— Fabrício Carpinejar.      

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Livros favoritos

Olá. Esse são meus livros favoritos, dez para ser exata. Sem ordem de preferência.



                                                                       Livros Favoritos

1. A menina que roubava livros

       O livro conta a história de Liesel Meminger sob o ponto de vista da Morte. Se passa na Alemanha, na segunda guerra mundial. É um livro tão sensível e duro, caloroso e frio. Esse sem dúvida lerei muitas vezes, mas do que já li. Escrito por Markus Zusac

2. O diário de Anne Frank

      Esse livro também se passa na época da segunda guerra, só que em Amsterdam, na Holanda. É o próprio diário da Anne, que me tocou profundamente. Não só pelo fato de Anne ser judia e estar escondida em um porão para não morrer. As palavras dela me tocaram porque sinto-me exatamente como ela, mesmo depois de sessenta anos de sua vida e morte.

3. Harry Potter e o Prisioneiro de Askaban

    O que falar de J.K. Rowling? Ela é genial por ter criado o mundo de Harry, Hogwarts, etc. Esse é o meu favorito até agora, já que estou lendo HP4, haha. A escrita é simples, mas a história é fascinante.



4. Memórias Póstumas de Brás Cubas

    Um dos primeiros clássicos brasileirissímos que li. Amei. Machado é brilhante, só.

5. Série Os Instrumentos Mortais

    Roubei nesse item, trata-se de uma série de mais de quatro livros, pela qual sou terrivelmente apaixonada.    A Cassandra Clare explora vampiros e lobisomens como antes nunca foram explorados.

6.Anjos e demônios
   Me batam mas eu continuarei gostando dos livros do Dan Brown. Eu sou apaixonada por Robert Langdon e me casaria com Tom Hanks se ele não fosse velho de mais, ele é o Robert perfeito. Sem mais, hahaha.



7. A hora da estrela
   De Clarice Lispector, muito bom. Algumas amigas me pediram o livro emprestado e nem leram, acham o jeito que Clarice escrevia muito chato, complicado. Ele é legal, interessante e seu final é espetacular, não há nada parecido.

8. Um amor para recordar
   Nicholas Sparks sempre me faz chorar não importa o quanto você reclame que seus livros são água com açúcar. Pra mim esse é o mais tocante. Desejo ler Noites de tormenta agora.



9. Cisnes Selvagens: Três filhas da China

   Esse livro conta a vida de três mulheres: Avó, mãe e filha. Escrito por Jung Chang, ela conta várias coisas sobre o passado de sua família e sobre a China de Mao.

10. A culpa é das estrelas

       Augustus Waters mexeu comigo. Hazel Grace me fez chorar, e olha que não é fácil fazer isso. John Green nos apresenta neste livro, a morte de uma forma bela e trágica. Não acrescentarei detalhes, leia o livro!


Todos os livros acima são altamente recomendados por mim, portanto, são bons. Acredito no meu julgamento acima de qualquer coisa!


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Ser médica (ou pelo menos sonhar)

Olá, no post de hoje, vamos falar sobre meu sonho de vida: ser médica. E não, isso não é um manual de como passar no vestibular, sobreviver durante a faculdade, etc, etc. Essas descrições chatas, você encontra aos montes por aí.



 Vamos lá. Meu negócio sempre foi prestar vestibular para medicina, morar na capital e ser independente financeiramente de qualquer pessoa.
Salvar vidas, viajar pelo mundo ajudando pessoas vítimas das guerras, ajudar criancinhas subnutridas na África, os ribeirinhos do Amazonas...
Só que tenho uma intensa vontade de me dedicar à escrita. Ser escritora, jornalista, talvez. 
Adoraria viajar o mundo fazendo reportagens, ficar em casa do dia todo de pijama escrevendo um dos meus próximos Best Sellers e ganhar bastante dinheiro com isso, haha.
Espero que eu consiga decidir dentro dos próximos três anos que tenho. Mas tomara que dê tempo pros dois. 
Na verdade, sofro de um intenso problema de falta de tempo pra tanta coisa que quero fazer em minha vida.
Talvez eu viva o que, mais uns 80 anos? Viajar o mundo todo, provar de diferentes culturas e idiomas, conhecer pessoas diferentes e ter experiência emocionantes, ajudar meu próximo que está lá na China ou aqui no Amazonas, como já mencionei, vão me ocupar bastante.
 E você, qual é seu sonho? Deixe nos comentários, e lute ao máximo para realizá-lo. Nada de preguiça.
 Ah, quase esqueci! A foto do post tem um significado sim, ok? O "Dr. House" é um médico infectologista, e ser infectologista é meu desejo em relação a especialidade. Além disso, a série e ótima e faz séculos que não a vejo. 
Bom feriado, até amanhã... Vou curtir uns episódios da série Dr. House, só pra matar saudades! Beijos!

P.S.:Quando eu me formar médica, se alguém tiver um infarto na minha frente e outra pessoa perguntar "alguém chama um médico?" vou responder "com licença, afastem-se, sou médica!" como nos filmes, hahaha. Meu Deus, que pensamento besta!

sexta-feira, 22 de março de 2013

A caminhada




Nada muda, nada acontece. Eu tenho sonhos pra mim, é claro. Assim como você deve ter. Mas será possível realizar todos os nossos sonhos?
O que mais me apavora na vida é a possibilidade de fazer escolhas. E também é o que eu mais gosto nela. Só que as nossas escolhas de hoje refletirão em toda a nossa vida futura. E se o que eu escolher não for o que é bom pra mim? E se eu for infeliz no futuro?
E se a profissão não for essa, o namorado não for esse, o sapato de formatura não combinar com o vestido? E se, e se, e se???
Meu único objetivo na vida é viver por o motivo que eu gostaria de morrer, mas alguém já disse isso.
Mas diante de tantas causas, razões e ambições acharemos uma única dentre tantas outras para viver e se for necessário, morrer?
As perguntas nunca vão acabar. Eu realmente acredito que com o tempo tudo vai se acertar, mas tenho medo que não. Tenho medo que eu viva e morra, sem nunca ter vivido de verdade. Serão as artes, a ciência e toda iluminação e sabedoria que me indicarão o caminho que devo seguir?
"E se" é a pior incógnita que já foi criada, porque dela não saem respostas exatas e prontas. O nosso futuro é decidido no presente, o qual é reflexo do nosso passado. Não há fórmulas mágicas, nada de soluções. Só um caminho à trilhar... Temos que torcer para que o final valha a pena. Talvez seja tudo o que possamos fazer.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Sobre o ciclo natural das amizades

Acabou a graça. Você e seu melhor amigo não tem mais nada a ver. Os assuntos que sua amigo fala, que são praticamente o centro do mundo dele, são totalmente imaturos. Dizem coisas que quando você ouve, se escandaliza. Aquilo simplesmente te incomoda. Tudo te incomoda. Ver a mesma coisa se repetir todos os dias te cansa. O que fazer quando seu amigo de anos não é mais a pessoa que costumava ser? Na verdade, ele mudou ou foi você que mudou? Infelizmente, ou não, isso é inevitável. A gente cresce. As coisas devem ficar para trás. O preço é alto, sim. Mas nada pior que forçar intimidade, um relacionamento que empacou. É mentira o que nossos pais e professores dizem: desistir nem sempre é ruim. As vezes, por mais amor que nos sintamos, temos que assumir o papel principal de nossas vidas. E todo posicionamento apresenta um risco.